BUENOS AIRES: EXPLORANDO O BAIRRO DA RECOLETA

Se Palermo é o Pulmão de Buenos Aires, a Recoleta com certeza é o local mais charmoso da cidade.

Meu primeiro contato com a região foi na visita a Livraria el Ateneu, e quem assistiu os filmes da Disney na infância deve entender quando eu digo: sabe aquela sensação de ser a Bela, toda saltitante, no meio dos livros da biblioteca do Fera? Fui eu naquele momento.

Não tem melhor adjetivo que defina a Livraria o Ateneu do que EXPETACULAR.

A libraria el Ateneo é um dos pontos mais visitados de todos os turistas que vão ao bairro da Recoleta. Mas, também, não é para menos, né, gente? Essa belezura era um teatro, inaugurado em 1919, mas que estava fechado até os anos 2000, quando foi alugado e revitalizado para se tornar a segunda livraria mais bonita do mundo, eleita pelo Jornal “The Guardian”.

Eu realmente vou ter que conhecer a livraria que ganhou em primeiro lugar porque para superar o esplendor dessa, tá difícil!! Hahaha.

O local tem um acervo de mais de 100 mil livros de todos os tipos possíveis, também se vende CD’s e DVD’s. Além disso, lá dentro, onde ficava o local do palco, você encontra uma cafeteria, que também funciona como restaurante, mas não aconselho muito por motivos de ter achado o cardápio meio caro.

Nem preciso falar que a entrada é gratuita, né? Vale muito a pena tirar uns minutinhos para apreciar o lugar.

Outro ponto muito visitado na Recoleta é o Cemitério da Recoleta. Pode parecer bem louco sair do seu país para visitar um cemitério, mas com certeza você mudará de ideia quando chegar lá.

O lugar foi construído em 1822 e guarda os túmulos das famílias mais poderosas de Buenos Aires e várias joias arquitetônicas. Dentre todos, o túmulo de Evita Perón é um dos mais procurados, mas lá tem até vencedor de prêmio Nobel, além de políticos conhecidos mundialmente. O cemitério é tão chic que existe até visita guiada.

Além disso, o Cemitério guarda histórias muito curiosas de alguns de seus habitantes, como o caso do coveiro David Alleno que trabalhou a vida inteira lá, comprou um jazido e depois se matou para ser enterrado ali. Certamente, o único morador feliz do local, hahaha.

Assim, minha dica é que você leia um pouco mais sobre as histórias do cemitério da Recoleta, caso contrário apenas a arquitetura do local tomará sua atenção (o que já é grande coisa, acredite).

A entrada do cemitério é grátis e o horário de funcionamento varia no inverno e no verão. Para chegar até lá, fui de metrô e foi muito prático: parei na estação de Las heras- linha H (amarela) e caminhei umas 3 quadras.

Bem próximo do Cemitério está a Basílica Nuestra Señora del Pilar, a igreja da aristocracia argentina e dos casamentos mais exclusivos. Mas, não cheguei a visitá-la.

Almocei em um restaurante que ficava próximo ao Shopping da Recoleta (toda parte da frente do local tem vista para o cemitério kkkkkkkk) e me preparar para os passeios da tarde.

Também na Recoleta, está o Museu Nacional de Belas Artes, museu que reúne o maior acervo de arte do país, com obras desde a idade média até o século XXI. Mas, adivinhem? Estava fechado por causa das festividades de fim de ano, hahaha.

Depois disso, peguei o metrô novamente pela linha H até a estação Facultad de derecho (apenas uma estação após a Las heras), para ver um dos maiores símbolos de Buenos Aires atualmente: a Floralis Generica, próximo a Faculdade de direito de Buenos Aires.

Confesso que apesar de tantas coisas lindas que tinha visto, foi só quando cheguei até a Floralis que bateu aquela sensação real de “Caramba, eu tô vivendo isso aqui, estou em Buenos Aires”.

A Floralis Genérica, também conhecida entre os brasileiros como Flor Metálica, é uma escultura metálica de 18 (dezoito) toneladas e 23 (vinte e três) metros de altura, que vai abrindo durante o dia até se fechar completamente a noite.

Idealizada pelo arquiteto argentino Eduardo Catalano, e inaugurada em 2002, a Floralis se tornou um dos principais cartões postais de Buenos Aires. Fica em um espaço de gramado verde ao lado do prédio da faculdade de Direito de Buenos Aires (Plaza de la Naciones Unidas), e é o local ideal para relaxar na grama, fazer um piquenique e, obviamente, tirar aquela fotinha com a flor ao fundo!

Quer saber um pouco mais sobre essa viagem incrível? Segue a @agarotaviajante no Instagram e corre nos meus stories fixados no perfil para visualizar cada passeio que eu fiz por lá!

©2019 por Shawanna Becker.